segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Aula de português

Estamos durante a "Semaine de relâche", no Brasil, semana do saco cheio. Enquanto todo mundo voltou pras suas casas, ou foi viajar, nós ficamos aqui em Rouyn, pq a cidade é mto grande e tem mtas opções de lazer e entretenimento.

Mentira!!!!

Ficamos aqui pq estamos gravando um média-metragem, um dos projetos finais do curso de Multimídia da nossa facul. Eu estou fazendo a continuidade (e ass. de som de vez em qdo), a Flá é ass. de arte e ass. de edição, e a Má faz making of e fotografia still. Acho que tá sendo uma experiência interessante, participar de uma gravação em francês. O esquema é o mesmo dos curtas que fazíamos na Unicamp: td mundo faz um pouco de td, td mundo chega na mesma hora no set, não temos verba pra nada, mas a arte é MIL VEZES pior, amigos midiálogos: mandamos bem!!!! Mesmo com o professor orientando, acho que éramos mais organizados em nossos curtas. Aqui não existe NINGUÉM DE PRODUÇÃO! ESTOU INCONFORMADA!! E na maioria dos curtas que eu fiz aí, a gte conseguia toda a alimentação de apoio de restaurantes e bares.
Mas eu tb acho que aqui eles tem mais suporte que aí na Unicamp, os equipamentos são poucos, mas estão em melhores condições - tirando as máquinas fotográficas, que são cybershot only. E eles tem apoio mesmo da faculdade, e tem um professor que já dirigiu vários filmes e que orienta alguns dias na gravação.

Uma coisa engraçada é que ninguém quis fazer a direção de fotografia! NINGUÉM! Aí sabe o que a faculdade fez? Contratou um cara aqui de RN que trabalha com isso já a algum tempo para fazer a direção de foto do filme. E sabem um dos recursos que eles dispõe para captar grana? Fizemos uma festa na faculdade. DENTRO, NO RESTAURANTE DA FACULDADE. In fact, td semana tem festa lá, cada uma é de um grupo diferente que tem um motivo acadêmico para captar grana. 
(Hey, Rei-tor, siga o exemplo do primeiro mundo! =P)

Bom, mas hj eu quero mostrar um pequeno e singelo vídeo que fizemos durante um momento de descontração nas gravações: durante um échange de cultura e conhecimento entre mundos, depois deles nos ensinarem a falar "tabarnak de caliss!" (que é uma frase que eu aprendi que não devo falar na frente do professor, mesmo que p mim nao signifique nada, hahahahhahha - calma, mãe, não cometi nenhuma graaande gafe!), ensinamos eles a falar o que achamos que seja um correspondente em português =D


Agora vou dizer o momento: durante a troca de locações, a Flá e a Má vieram num carro, e eu em outro. Enquanto a Flá aprendia que existem 3 tipos diferentes de se dizer "de nada", eu dizia "tabarnak de froid!!(PQP, que frio! - botando em prática as palavrinhas novas!!), o que levou toda a discussão do carro a me ensinar uma expressão nova.

Chegando na locação, ela veio me contar que descobriu pq todo mundo fala "bienvenue" para gte (a gte achava que era pq td mundo percebia que não somos daqui, então diziam "bem-vindas". Mas, PQP, já fazem 2 meses, elas vão nos dizer bem-vindas até qdo????), pq pode-se responder ao "obrigado" dizendo um simples e seco "de rien" (o que aprendemos a dizer no Brasil, e o que falávamos até então), "bienvenue" que é o nosso "disponha" ou "não há de quê", ou "Ça fait plaisir", que é qdo elas gostaram mesmo de nos ajudar, o mais polite ever.

Daí eu disse, "nossa, td mundo devia achar que somos mal educadas, né? Sempre falamos de rien. Ah, sabe o que eu aprendi na vinda pra cá??? A falar tabarnak de caliss!" Atrás de mim, o professor diz num tom brincando-sério "hey, brasileiras, cuidado com o que vcs falam!". Aí td mundo riu e começamos a ensinar como se diz isso em português. Nunca pensei que eu fosse falar Caralho e Filho da Puta olhando para o professor, que me respondeu sorrindo, feliz e contente e tentando repetir o que eu disse. 


Depois aprendi que tb posso dizer "tabarnak d´osti de caliss", ou "tabarnak de caliss d´osti de criss" - qto mais palavras, mais forte e pesado! Mais eu tb cheguei a conclusão que o significado das palavras está nas pessoas, pq Mu, não adianta vc decorar isso e falar p professora ai no Brasil, que não vai significar nada. Qdo eu disse as palavras em português, eu fiquei vermelha, mas foi total indiferente dizer em francês, pq ainda elas não fazem mto sentido pra mim. É quase como se não fosse um palavrão....

Um comentário:

Ste disse...

HAHAHAHAHAHAHAHAA, VEEEEEEEEEEERY NICE!